RSI - Rendimento Social de Inserção (Protocolo) Núcleo de Atendimento às Vítimas de Violência Doméstica (NAVVD), do Distrito de Viseu CAEV - Centro Acolhimento Emergência Vitimas Violência Doméstica Description slide 4

Núcleo de Atendimento às Vítimas de Violência Doméstica

Rendimento Social de Inserção (RSI)



CAEV - Centro Acolhimento Emergência Vitimas Violência Doméstica


• 5º Feira dos Campadres

A Quinta-feira dos Compadres realiza-se apenas nas localidades de Abraveses e de Moure de Carvalhal. Reunidos secretamente, não se sabe bem quem, nem onde, um grupo de rapazes solteiros elabora, em papel de cenário de grandes dimensões, uma lista mais ou menos extensa, procurando acasalar as 'solteironas' da povoação com os 'solteirões'. 

A lista é afixada durante a noite de Quarta para Quinta-feira antes do Carnaval, em lugar praça Central da povoação, indicando os pares e referindo, com algum humor, afinidades reconhecidas.

 



• Amentação das Almas


Chegada a quarta-feira de cinzas, a calma e a tranquilidade parecem ter voltado à povoação de Abraveses. Deixaram de ouvir-se as moças cantando nos campos e todos os movimentos parecem guiados por um silêncio que se vive sem ser imposto. 

A Quaresma era tempo de solidão em que cada um meditava realmente no que fora o seu viver no passado, e que caminhos trilhar no futuro. Era assim naquele tempo em que se sentia a Paixão do Senhor. O tempo quaresmal era por excelência um tempo de recolhimento, oração, jejum, abstinência. Apenas raros cânticos religiosos rompiam o silêncio duma quadra litúrgica globalmente tomada como tempo santo. Os mistérios da paixão e da morte de Jesus Cristo estavam presentes no espírito dos crentes. Mas os tempos foram passando e hoje vive-se de maneira totalmente diferente. O Homem, enfrenta vicissitudes e chamamentos da vida moderna, esquece-se dos princípios morais e cívicos que foram apanágio e norte das gerações do passado, passa a olhar-se a si próprio, a deixar-se envolver pelo dinheiro, a gozar os prazeres que a vida moderna lhe proporciona, esquecido do sofrimento e da dor que à sua volta campeia. 

No entanto, algo a tradição não deixou cair no esquecimento e, durante a época quaresmal nos reaviva, ano a ano, um pouco do quanto devemos àqueles de quem recebemos a vida e passaram à eternidade. Relembrar os nossos mortos é tradição que, felizmente, se mantém cantando dolentemente, às quartas e sextas-feiras da Quaresma, a amentação das almas. 

A amentação das almas, culto popular cristão dos mortos, é feito por um grupo de homens do povo que percorrem, alta noite, as ruas de Abraveses, parando nas encruzilhadas, aí cantando em coro, lento e de toada triste, orações pelos que morreram. 

Rezar pelas almas do purgatório e pedir, a quem os ouve, igual procedimento, era e é a intenção dos seguidores desta tradição. Em Abraveses, a amentação das almas era e é cantada exclusivamente por homens, que à hora aprazada, se dirigem ao portal do cemitério, fronteiriço ao largo da igreja. Ao bater da meia-noite, devidamente encapotados, resguardando o rosto para não serem reconhecidos, ajoelham na terra húmida e pedregosa. Aí são feitas as rezas iniciais e entoado o cântico de saída, por aquela 'dúzia' de vozes roufenhas. Inicia-se o compasso traçado através da povoação de Abraveses, com paragens obrigatórias em todas as encruzilhadas de caminhos, onde entoam, com lentidão e com fé a imorredoura canção:

  
Ó Cristão qu'estais dormindo
Nesse sono tão profundo,
Levantai-vos e rezai
P'las almas do outro mundo.

Rezai mais um padre nosso
E mais uma avé-maria,
Em louvor de Sant'António
Que nos guarda noite e dia.

Se fores ao cemitério
Tomai nota e reparai
Naqueles ossos mirrados
Nossa mãe e nosso pai!

Rezai mais um padre nosso
E mais uma avé-maria,
P'los cristãos que morreram
Cá da nossa freguesia. 

CRECHE

Embora sendo a Freguesia de Abraveses
uma das mais populosas do Concelho de
Viseu, era um facto que na sua área não
existia qualquer creche da rede de
solidariedade social  ler mais...

RANCHO FOLCLÓRICO

 Foi nesta terra que em 21 de Março de
1935 se criou oficialmente a
“Casa do Povo de Abraveses”, que é uma
das mais antigas do País. ler mais...